A VERGONHA DE UM PAÍS.


Não sou jornalista. Não sou blogueiro profissional e nem vivo disso. Criei este blog apenas para expor minhas ideias e pensamentos sobre vários temas que me são cotidianos. De forma que posso aqui contradizer uns e outros não. Mas quero que entendam ao ler minhas palavras, que se trata apenas de um desabafo de um cidadão acima de tudo brasileiro e que está cansado de ler e reler assuntos que pra grande maioria da população deveria ser tratado como um tema pré-histórico.

Há muito tempo ouço dizer que nosso país deveria figurar como “primeiro mundo”. Na minha ignorância política tempos atrás, ficava a imaginar o que faltava para tal feito. Nosso país tem tudo para figurar entre os maiores, não só pela nossa riqueza e capacidade de gerar empreendimentos; mas porque somos capazes sim de estar lá. Daí pensei: Mas o que falta? Em minha mente logo veio essa palavra (Caráter Político).



Desde a época da era Collor, quando fui pra rua fazer parte de uma massa de pessoas motivadas por uma crise que chegou ao seu ápice, com inflação batendo a 50% ao mês. Comprava um quilo de feijão de manhã e a tarde o preço já era outro. Quem ia à padaria buscar um pão pela manhã, a tarde levava um susto, pois o valor já era outro. Quem viveu sabe disso

Nessa época era um moleque sem conhecimento político que agia mais por impulso e motivação emocional do que qualquer outra coisa. Estava lá brigando por uma causa que não entendia bulhufas, Só sabia que meu país estava em um caos e que aquilo se refletia no meu dia-a-dia, e como a grande maioria foi pra ruas quis também dar minha contribuição. Hoje a situação não é igual à de Collor, mas pior. Collor perto desse escândalo é fichinha, um amador. Escândalo que deixa os países desenvolvidos de boca aberta. Não estou dizendo que não há falcatruas nesses países, mas na minha ignorância posso dizer que nunca nessa proporção. Creio que se isso fosse possível ser registrado no Guinnes, seriamos a vergonha mundial.

Hoje já mais experiente com a vida; e com certo entendimento político, me sinto envergonhado e ao mesmo tempo indignado. Primeiro vou questionar a nação e eu me incluo nela, não que cometo tal ato, mas estou aqui dentro desse navio chamado Brasil; e faço parte das exceções. Minha linha de pensamento é a seguinte. Um povo legitimado tem que saber cobrar seus direitos, mas também tem que saber se comportar perante a sociedade. Acho um absurdo se criar uma lei para multar quem joga papel na rua (lixo no geral). Não é conduta de quem quer um país figurando entre os do primeiro mundo. Penso que nossa sociedade tem que passar por uma avaliação pessoal, cada um examine a si mesmo e veja onde tem que mudar e mude. Só essa atitude já terá um impacto enorme na sociedade como um todo. Porque cito isso. Porque tenho conhecimento andando por esse Brasil, de pessoas que trocaram seu voto por um saco de cimento, por um metro de areia. E sabemos que existe mesmo e que isso não é nenhuma fabula, deveria ser, mas não é. Como pode depois de eleger pessoas assim nessa condição e mais a frente por um ato falho desse político, essa pessoa querer tirá-lo do lugar que ela mesma ajudou erradamente, como se correta fosse. Esse tipo de pensamento tem que ser banido da mente dessas pessoas para que se construa um país melhor. Quando cada cidadão reconhecer seu valor e for sabedor de que um político só chega lá por sua causa, por nossa causa, então seu voto será muito bem usado, pois saberá avaliar cada político para só assim dar seu credito pessoal de confiança. Isso é exercer cidadania limpa e transparente. A mudança tem de começar em nós primeiro.

Penso também que cada cidadão deveria por mais chato que seja saber um pouco mais sobre política; saber se aquele que mereceu seu voto faz um bom trabalho. Temos o hábito de se importar com isso somente em vésperas de eleições. Fato curioso é que nessas épocas, aquele que odeia política, de repente se torna doutor dela e quer estar em pauta nas discussões com amigos, mesmo sem estar envolvido. Conheço muitos assim.

Nosso país me perdoe o que vou falar, tem o habito do jeitinho. Quase tudo é na base do jeitinho. Vou levar vantagem nisso? Não? Passo a bola pra outro. Desde que me entendo por política é assim. Mas na sociedade também não é diferente. Fala-se muito na mudança de um país; mas fiquei pensando: Quem compõe um país? Obviamente, que pessoas. Então quando se diz que um país tem que mudar, são as pessoas; e isso começa em casa, na escola, na rua, no dia-a-dia.


Amo meu país, minha terra. Orgulho-me de ser brasileiro e creio que todos nesse ponto concordam comigo. Se soubéssemos usar tudo que temos, seriamos um país com referencia mundial, e se não “um” entre as grandes potencias. Mas politicamente falando, somos uma vergonha, vergonha mesmo. Faço uma observação dessa política, antes e depois. Veremos que transitamos por uma faca de dois gumes e não sabíamos. Antes nos foi prometido algo surreal, e acreditamos (felizmente não votei por estar fora de minha jurisdição), mas fui lá e prestei meu papel como eleitor e justifiquei. Mas isso não me exima do fato de vir a cobrar por mudanças. Os gladiadores duelavam cada um mostrando mais suas habilidades pessoais de ataque e de defesa do que habilidades de quem sabia ser um bom administrador das coisas referentes ao país. Mas o depois é que me surpreendeu. Por que o acusador que falou, fez e aconteceu quando tomou posse, faz aquilo que jurou não fazer. Mas uma vez volto a dizer. (Falta de caráter político). Mentiu para o povo, mentiu para o seu eleitorado. E assim foi sempre nessa nossa política brasileira. Mas não será sempre. Eu acredito que agora esse povo aprendeu a se interessar mais e a cobrar mais. Mas volto a dizer: Que esse povo mude também no seu dia-a-dia. Assim teremos um país mais justo.


O que me deixa com indignação em relação aos políticos, é que muitos daqueles que nos representavam, e que até eram motivos de orgulho, hoje nos choca e nos entristece. Quando um político rouba, ele está roubando a nação, um país, sua pátria, sua dignidade, seu caráter, sua conduta, ou seja: Ele joga tudo no lixo. Esquece-se de quem o elegeu, se esquece daquele doente no hospital. Não se lembra das crianças, futuro de nosso país, quando seu roubo lhes tira um ensino melhor. Rouba o desenvolvimento de um país, e de uma nação. A prova está ai. Mas o mais cruel disso tudo é quando nós cidadãos de bem temos que a contra gosto ter que repor o que foi roubado e que por direito era nosso. Quando um dinheiro é gasto numa má gestão, podemos até compreender, mas quando não é esse o caso, nos causa revolta e indignação, porque fomos roubados e quem roubou estava ciente de tal fato de maneira que considero a maior das traições para com o povo. Isso por si só já mostra o caráter dessa pessoa e nos revela sua intenção. O povo sempre foi traído, enganado, surrupiado e pior, mandam a conta do roubo para que nós, humildes cidadãos com esforços reponhamos como se nada tivesse acontecido, como se fosse tudo isso norma.

Mas como tudo nunca foi e nem será oculto, a farsa veio a tona, e a face de cada um, inocente ou não veio a ser revelada. Agora, que cada cidadão faça sua ficha criptografia e marque todos eles e guarde, para que numa próxima eleição esses não voltem nunca mais ao poder.


Por Guilherme Jaber



Empreiteiras da Lava Jato recorrem a Lula e cobram interferência política


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu sócio Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, têm recebido pessoalmente desde o fim do ano passado emissários de empreiteiros que são alvo da Operação Lava Jato.

Preocupados com as prisões preventivas em curso e com as consequências financeiras das investigações, executivos pedem uma intervenção política de Lula para evitar o colapso econômico das empresas.

Okamotto admitiu ter recebido “várias pessoas” de empresas investigadas na Lava Jato. O Estado ouviu relatos de interlocutores segundo os quais, em alguns momentos, empresários chegaram a dar um tom de ameaça às conversas.

No fim do ano passado, João Santana, diretor da Constran, empresa do grupo UTC, agendou um encontro com Lula – o presidente da UTC, Ricardo Pessoa, foi preso pela Lava Jato e é apontado como coordenador do cartel de empreiteiras que atuava na Petrobrás.

Santana foi recebido por Okamotto. A conversa foi tensa. A empreiteira buscava orientação do ex-presidente. Em 2014, a UTC doou R$ 21,7 milhões para campanhas do PT – R$ 7,5 milhões em apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Indagado sobre o encontro com o diretor, Okamotto admitiu o pedido de socorro de Santana. “Ele queria conversar, explicar as dificuldades que as empresas estavam enfrentando. Disse:‘Você tem que procurar alguém do governo’”, contou o presidente do Instituto Lula.

“Ele estava sentindo que as portas estavam fechadas, que tudo estava parado no governo, nos bancos. Eu disse a ele que acho que ninguém tem interesse em prejudicar as empresas. Ele está com uma preocupação de que não tinha caixa, que tinha problema de parar as obras, que iria perder, que estava sendo pressionado pelos sócios, coisa desse tipo”, disse Okamotto.

A assessoria de imprensa da Constran nega o encontro.


A força-tarefa da operação prendeu uma série de executivos de empreiteiras em 14 de novembro, na sétima fase da Lava Jato. Um deles era o presidente da OAS, Léo Pinheiro. Antes de ser preso, ele se encontrou com Lula para pedir ajuda em função das primeiras notícias sobre o conteúdo da delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa que implicavam sua empresa.

Lula e Pinheiro são amigos desde a época de sindicalista do ex-presidente petista, que negou ter mantido conversas sobre a Operação Lava Jato com interlocutores das empresas.

Estratégias comuns

A cúpula das empreiteiras também tem feito reuniões entre si para avaliar os efeitos da Lava Jato. Após a prisão dos executivos, o fundador da OAS, César Mata Pires, procurou Marcelo Odebrecht, dono da empresa que leva seu sobrenome, para saber como eles haviam se livrado da prisão até agora. Embora alvo de mandados de busca e de um inquérito da Polícia Federal, a Odebrecht não teve nenhum executivo detido na Lava Jato.

Conforme relatos de quatro pessoas, Pires disse que as duas empresas têm negócios em comum e que a OAS não assumiria sozinha as consequências da investigação. Ele afirmou ao dono da Odebrecht não estar preocupado em salvar a própria pele, porque já havia vivido bastante. Mas não iria deixar que seus herdeiros ficassem com uma empresa destruída por erros cometidos em equipe.

A assessoria de imprensa da Odebrecht disse que houve vários encontros entre as duas empresas, mas que nenhum “teve como pauta as investigações sobre a Petrobrás em si”. O departamento de comunicação da OAS nega a reunião com a Odebrecht.

A cúpula das empreiteiras também tem feito reuniões entre si para avaliar os efeitos da Lava Jato.

© Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo…

Em consequência da Operação Lava Jato, as empreiteiras acusadas de fazer parte do“clube” que fraudava licitações e corrompia agentes públicos no esquema de corrupção e desvios na Petrobrás estão impedidas de participar de novos contratos com a estatal.

Com isso, algumas enfrentam problemas financeiros, o que tem tirado o sono dos donos dessas empresas. No dia 27 de janeiro, Dilma fez um pronunciamento no qual disse que “é preciso punir as pessoas”, e não “destruir empresas”.

Críticas

A tentativa de empreiteiras envolvidas na Lava Jato de pedir ajuda a agentes políticos já foi condenada pelo juiz Sérgio Moro – responsável pela operação – ao se referir aos encontros de advogados das empresas com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

“Trata-se de uma indevida, embora malsucedida tentativa dos acusados e das empreiteiras de obter interferência política em seu favor no processo judicial (...) certamente com o recorrente discurso de que as empreiteiras e os acusados são muito importantes e bem relacionados para serem processados”, criticou o juiz






IDEOLOGIA FURADA E DESIGUAL



Posso ser leigo e até ignorante. Posso não ter habilidade nas palavras, seja na forma escrita ou não. Não complico com palavras difíceis, gosto de quem as ler compreenda na simplicidade.

Mas ao ver o tal vídeo do Presidente Maduro da Venezuela, fiquei a pensar. Que modelo de revolução é essa que querem implantar aqui no Brasil? É só o povo virar os seus olhares para a Venezuela e a resposta estará dada! O país está um caos, pessoas passando fome, quebradeira pra tudo quanto é lugar. Gente morrendo em nome de uma liberdade que agora é impossível! E esse Maduro diz que está fechado com Dilma e Lula.

Quando eu malho, desço o pau mesmo e farei quantas vezes forem necessárias, farei. Não é porque é Dilma no poder, não é porque foi Lula no poder, mas é a ideologia que querem implantar, é contra essa que eu afronto.

Lula no seu primeiro mandato fez um ótimo governo, mas depois se perdeu se corrompeu. Entrou o companheirismo, o coleguismo, as camaradagens. E assim o velho Lula ficou no meio do caminho com suas ideias ideais. Permitiu que surgisse o novo Lula, mais ambicioso, mais audacioso. Muitos dizem que esse novo Lula na verdade era o velho Lula, que se mostrou depois.

O Brasil ia muito bem obrigado, até eles virem com esse papo de trazer para o Brasil esse bolivarismo. Isso é a mais sórdida forma política de governar. O povo Brasileiro não merece ter esse tipo de comando. Somos um povo pacifico, mas olhe a sua volta e perceba que esse pacifismo está acabando. O povo já não aquenta mais.

Nicolás Maduro fala de uma unificação Bolivariana na América do Sul, e isso de fato está se concretizando. Veja a sua volta e perceba que o Uruguai, a Argentina e a Bolívia já são. Talvez o Paraguai não confirmei, mas fato é que esse tipo de política passa longe até do comunismo. Essa coisa de ajudar a classe de menos prestigio, isso é conversa pra boi dormir. Olhe para a Venezuela? Que mérito essa revolução levou para o país? Só desgraça e dor.

Por aqui falam tão bem do SUS que vão se tratar no Sírio e Libanês! Hipócritas! Se o SUS fosse tudo isso que falam, eles que dessem o exemplo! Não é uma revolução? Revolução neste caso é aparelhar todos num só nível de igualdade! E o que eles fazem? Nada disso.

Lula entrou pobre e saiu rico da política. Para um revolucionário vive no luxo. Fidel quando fez a sua revolução vivia no luxo e foi tão bom que nunca mais largou. Che por mais FDP que fosse acreditou mais no ideal que os demais, tanto que morreu fugitivo, pobre, sujo e abandonado e traído pelos demais.

Que revolução é essa que massacra o povo. Temos a gasolina mais cara do MUNDO! Já se apercebeu disso? Quando digo que não aprovo esse partido é porque os ideais que ele tem para a posteridade é que assusta. Destrói tudo que é justo e instala o injusto.

Posso não ser doutor em letras, posso não escrever bonito. Como muitos dizem: Meus argumentos são fracos. Pode até ser, mas dificilmente alguém letrado ou com ideias enganosos me enganará com palavras doces, porque no fundo serão amargas como fel. Primeiro eles dão o doce para depois se revelarem quem são. Alguém conhece essa história?

Acredite quem quiser acreditar no PT, espero que lá na frente não seja tarde demais pra você, porque uma vez revelado a face do Bolivarianismo no Brasil, você que apoiou agora com as dores, contudo será cúmplice do fato, mesmo sofrendo as consequências.






PIMENTEL ADMITE RACIONAMENTO



© Divulgação Fernando Pimentel


O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, disse hoje (28) que o estado pode enfrentar um racionamento “severo” de água daqui a três meses. O estado é um dos mais atingidos pela crise hídrica que ameaça o abastecimento em parte do país.

“Se não chover, se o consumo não cair e a vazão não aumentar - se não conseguirmos mais captação, em três meses vamos ter que racionar severamente”, disse o Divulgação Fernando Pimentelgovernador após reunir-se com a presidenta Dilma Rousseff e o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, no Palácio do Planalto, para discutir a situação dos reservatórios mineiros.

Apesar do diagnóstico pessimista, Pimentel espera que medidas emergenciais possam atenuar os impactos da escassez e evitar o racionamento. O governo mineiro estabeleceu a meta de economia de 30% de água na região metropolitana de Belo Horizonte e criará uma sobretaxa para quem consumir mais água que em 2014. Além disso, uma obra de transposição do Rio Paraopeba para o Rio Manso, que abastece a capital, deverá melhorar o cenário até o fim do ano, antes da próxima estiagem.

“Vai chover um pouco, podemos aumentar a captação mesmo sem essa obra [transposição] e o consumo vai cair. Colocamos essa meta de 30%, que é uma meta factível e que nos permite vislumbrar atravessar o ano sem medidas drásticas, mas se isso não acontecer, vamos para o rodízio e para o racionamento”, confirmou.

© Divulgação/Cesan água desperdício

A obra de aumento da vazão do Rio Manso deverá ficar pronta em novembro e será financiada com um aditivo em um contrato de Parceria Público Privada que já existe, de acordo com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa.

“Esse contrato que já existe será adaptado para aumentar a vazão para esse reservatório. Nós não temos outros detalhes, isso vai ser trabalhado entre as equipes técnicas. A ideia é que a gente tenha detalhes até o fim de fevereiro para que o governo federal possa decidir como vai auxiliar nisso: pode ser com a inclusão entre as obras do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], como foi feito com obras de São Paulo, pode ser uma ação conjunta para viabilizar a execução desse investimento, no que se refere a licenciamento que depende do governo federal e outras modalidades”, explicou.

Segundo Pimentel, a obra custará “menos de R$ 1 bilhão”. O governador criticou a ausência de medidas do governo anterior em relação à crise hídrica em Minas e disse que a situação já era conhecida desde o ano passado quando o governador era Antonio Anastasia, do PSDB.

“Essa situação já podia ter sido detectada em meados do ano passado, a Agência Nacional de Águas chegou a fazer dois alertas para a Copasa, nossa empresa estadual de saneamento, em agosto e em setembro, sobre a gravidade da situação, e esses alertas não foram levados em conta. A população não foi comunicada da gravidade da situação e essas medidas de economia, que podiam ter sido adotadas há seis meses, não foram. Vão ter que ser tomadas agora, com atraso, e portanto, com mais intensidade”, comparou.

Além de Pimentel, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, também será recebido por Dilma nesta quarta-feira para discutir medidas de apoio do governo federal no enfrentamento da crise hídrica.

Fonte: Luana Lourenço
Matéria divulgação


FATOS HISTÓRICOS QUE ACONTECERAM NO DIA 17 DE JANEIRO






Duplo sucesso dos Beatles. Em 17 de janeiro de 1969, os Beatles lançam Yellow Submarine. Poucas músicas deste disco são inéditas. O trabalho contém faixas, que em sua maioria, são músicas orquestradas e compostas por George Martin e que fazem parte da trilha sonora do desenho Yellow Submarine. Em 1999, o desenho foi lançado em DVD.

1706 - Nasce Benjamin Franklin, cientista e diplomata norte-americano.

1793 - A Convenção Francesa decide por um voto de diferença, com 361 a favor e 360 contra, a pena de morte do Rei Luis XVI.

1817 - O General José de San Martín, junto de quatro mil homens, inicia cruzada na Cordilheira dos Andes para a conquista do Chile.

1910 - Morre Joaquim Nabuco de Araujo, escritor e político brasileiro que trabalhou pela abolição da escravidão.

1912 - O explorador inglês Robert Scott chega ao Pólo Sul.
1929 - O marinheiro Popeye aparece pela primeira vez em tiras de quadrinhos. O personagem era criação de E.C. Segar.

1933 - O Congresso dos Estados Unidos vota a favor da independência das Filipinas.

1934 - Promulgada, na Alemanha, a nova Carta de Trabalho.

1943 - Segunda Guerra Mundial: recomeça a ofensiva britânica na Líbia.

1945 - O diplomata sueco Raoul Wallenberg, que salvou dezenas de milhares de judeus durante a Segunda Guerra Mundial, desaparece na Hungria.

1945 - Durante a Segunda Guerra Mundial, forças soviéticas e polonesas liberam Varsóvia, a capital da Polônia.

1954 - Milovan Djilas, presidente da Assembléia Federal e vice-presidente da República da Iugoslávia, é destituído de seus cargos.

1958 - Êxito no primeiro teste do míssil americano Polaris. Os submarinos passam a se equipar com ele.

1961 - Assassinato em Katanga do dirigente do Congo, Patricio Lumumba, um dos principais nomes da Indepen-dência do país.

1962 - Monserrat Caballé estréia no Grand Teatro de Barcelona.

1966 - Colisão de dois aviões dos Estados Unidos. Quatro bombas atômi-cas caem, três nas proximidades de Palomares e a outra em Almeria.

1969 - Os Beatles lançam o álbum Yellow Submarine,na Inglaterra.

1982 - O desabamento de uma ponte pênsil sobre o salto de Sete Quedas, no Paraná, provoca a morte de 29 pessoas. Cerca de mil turistas ficam
isolados e são resgatados por helicópteros.

1983 - A Nigéria expulsa dois milhões de imigrantes ilegais vindos de Gana.

1984 - Abertura, em Estocolmo, da Conferência sobre Desarme na Europa, em que participaram representantes de 35 países.

1987 - 50 pessoas desaparecem após o naufrágio de um navio, perto da ilha de Bohol, nas Filipinas.

1991 - O início da Guerra do Golfo leva ao racionamento de combustíveis no Brasil e postos passam a fechar à noite e aos domingos.

1994 - Um terremoto em Los Angeles, na Califórnia, causa 54 mortes, 5.420 feridos e a perda de US$ 35 milhões.

1995 - Um terremoto de 7,2 graus na escala Richter sacode a região japonesa de Kansay, causando 5.500 mortes e 26 mil feridos.

1996 - O ex-primeiro ministro da Itália, Silvio Berlusconi, vai a julgamento por acusações de corrupção alegadas por seus oponentes políticos.

1997 – Um tribunal na Irlanda conce-de o primeiro divórcio na história do país.

2015 – Morre na indonésia por fuzilamento Marco Archer. Condenado a onze anos de prisão e pena de morte por entrar no país com 13,4 quilos de
cocaína. Domingo (18) na Indonésia – 15h31 deste sábado (17), pelo horário de Brasília.




MARCO É FUZILADO NA INDONÉSIA.


Semana passada com a morte de Marco Archer, acabei escrevendo três artigos sobre o assunto. Recebi várias críticas tanto positivas quanto negativas.

De primeiro momento escrevi não defendendo o camarada, porque quem é pego com 13 quilos de cocaína, me desculpe, mas por mais legal e bonzinho de o cara seja, pra mim é traficante. No meu primeiro artigo expressei minha opinião para que não houvesse execução, mas que convertesse sua pena em perpetua.

Depois escrevi um segundo artigo onde tracei o perfil desse que seria o primeiro brasileiro a ser morto e certamente entraria para a história de forma negativa. Com o passar dos dias e chegando o momento do dia D, a internet já estava abarrotada de posts. Todo mundo falava o que bem queria. Havia muita bobagem escrita, e algumas com seriedade. Eu me enveredei na segunda opção, para colher maiores detalhes.

Foi então que achei uma matéria de uma entrevista na coluna de Luis Nassif com Rogério Paez, mas a autoria é de Roberta Pennafort. Paez conheceu Marco na prisão, mas acabou sendo solto porque com ele foi pego somente 3,8 gramas de haxixe, ou seja: Só para consumo. Mesmo assim esse indivíduo cumpriu oito anos de prisão dos quais cinco passou ao lado de Marco.

Mas o que me chamou a atenção, foi o fato de na entrevista ele dizer o seguinte:

“O estado de espírito do carioca era oscilante. Por vezes, refugiava-se na metanfetamina, droga sintética que comprava de guardas corruptos, para escapar da realidade”.

Como assim? O cara ia ser morto por ter transportado drogas, e na prisão ele comprava elas dos guardas corruptos? No inicio achei que a lei daquele país fosse justa em sua aplicação, mas depois dessa entrevista confesso que fiquei decepcionado. Não sou a favor nem exerço apologia ao crime seja ele de que maneira for. Mas diante dessa afirmação eu não achei justa a execução de Marco Archer. Se o sistema é corrupto, então em parte é ele próprio que alimenta o fato de outras pessoas se aventurarem a levar drogas; porque se esse sistema corrupto abastece uma prisão, certamente abastece em outros locais. Pergunto: E aí? Nada acontece? “Paez não se conforma com as contradições da Indonésia quanto à venda e uso de drogas.

“Nada na Indonésia faz sentido. Quem vende a droga é a polícia. Na maior boate de Bali te oferecem ecstasy. Na cadeia, tem todas as drogas. E, se o preso tiver dinheiro, pode conseguir de tudo”.

O CORREDOR DA MORTE.

Segundo levantamento da Anistia Internacional, há 160 pessoas no corredor da morte na Indonésia, dos quais 63 são estrangeiros de 18 países. Além de indonésios e dois brasileiros, há condenados da Austrália, China, Estados Unidos, França, Gana, Holanda, Indonésia, Índia, Irã, Malásia, Nepal, Nigéria, Paquistão, Serra Leoa, Tailândia, Vietnã e Zimbábue.

"O caso do Marco (tráfico de drogas) foi um crime não-violento. Nós somos contrários à pena de morte em qualquer situação, mas, no caso dele, chama a atenção essa desproporção", disse o assessor de direitos humanos da Anistia Internacional, Maurício Santoro, à BBC Brasil.

De fato a mensagem que deixo é essa: Que o ser humano valorize sua vida cada dia mais. Viva como se hoje fosse seu último dia. Viva com alegria e com amor ao próximo. Porque viver é muito bom e com liberdade melhor ainda.









BRASILEIRO MARCO ARCHER FOI EXECUTADO.

Instrutor de voo livre foi morto por pelotão de fuzilamento em prisão. No país asiático, tráfico de drogas tem pena capital.

O brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, foi executado na madrugada de domingo passado (18) na Indonésia – 15h31 de sábado (17), pelo horário de Brasília. O método de execução de condenados à pena de morte no país é o fuzilamento.

O instrutor de voo livre havia sido preso em 2003, ao tentar entrar na Indonésia com 13 quilos de cocaína escondidos nos tubos de uma asa delta. A droga foi descoberta pelo raio-x, no Aeroporto Internacional de Jacarta. Archer conseguiu fugir do aeroporto, mas duas semanas depois acabou preso novamente. A Indonésia pune o tráfico de drogas com pena de morte.

A pena de morte neste país tem apoio da população, o que fortalece ainda mais a decisão judicial de manter a sentença e não dar a tão esperada clemência. Também, segundo eles é um meio de dizer aos Cartéis do Narcotráfico que eles não dão perdão a traficantes. O Brasil inteiro se comoveu com essa história e nas redes sociais não se falou em outra coisa. Apelos foram feitos, mas do lado indonésio parece que ninguém se sensibilizou.

Nossa presidente nesta questão não podia fazer muito, uma vez que Marco Archer legalmente cumpriu todos os quesitos de defesa segundo a justiça do país, ou seja: Teve todos os direitos legais, mas perdeu. Desta forma entendeu-se que não havia mais recursos e então seria executado e assim foi feito. Nosso país não tem pena de morte, isso pode causar certa indignação a nós brasileiros.

A presidente Dilma Rousseff telefonou na sexta-feira para o presidente Joko Widodo para fazer um apelo pessoal em favor de Moreira, mas ouviu um ‘não’ como resposta. O governo brasileiro também pediu que o papa Francisco intercedesse e, em uma derradeira tentativa de dissuadir o governo indonésio, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao chefe do Ministério Público local uma solicitação de adiamento da execução. Várias organizações internacionais de defesa dos direitos humanos também se manifestaram contra a decisão da Indonésia. (extraído da veja)

Assim que soube da possibilidade da execução iminente, uma tia de Marco pegou um voo para Jacarta, aonde, por causa das três conexões, chegou na sexta-feira (15). Ela levou uma mala com presentes, cartas e lembranças de amigos e, a pedido do próprio Marco, bacalhau da escala em Lisboa. “Espero poder me despedir do meu sobrinho e peço que rezem por ele”, dizia ela. Irmã da mãe de Marco, morta em 2011 de um câncer de pulmão que acreditava ser fruto do desespero pela libertação do filho.

Mas o Presidente linha dura não deu a tão esperada clemência e Marco foi executado. Segundo fontes na mídia, seu corpo será cremado e suas cinzas trazidas para o Brasil.


ENTENDA COMO FUNCIONA A EXECUÇÃO DE FUZILAMENTO


DESSE OCORRIDO, O QUE PODEMOS TIRAR DE EXEMPLO.

Cada País tem suas leis e suas diretrizes. Uns tem tratados com outros Países, seja de extradição ou não. Não foi o caso de Marco Archer. Em nossas leis certamente ele pegaria ai três a quatro anos de prisão e com dois anos de boa conduta já estaria na rua. Estamos acostumados com essa frouxidão e precariedade em nossa lei que é cheia de brechas, e que certamente possibilita alguém de se safar de um crime cometido. Cada País tem suas formas de conduzir leis focadas em cada infração. Na Indonésia crime de narcotráfico é tratado com pena de morte, pode até ser exagero, mas são leis locais e devemos respeitar a soberania de cada País. Uns podem achar absurdo, mas cada um tem sua forma de inibir o crime. Por exemplo: Se um usuário é pego com um cigarro de maconha, certamente ele pegará em média oito anos de prisão. Exagero? Pra ele não. Eu penso que Marco certamente sabia dos riscos que corria, sabia que o País tinha e tem duras formas de lidar com o narcotráfico. Dessa triste história o que podemos tirar de lição? Muitas coisas, mas uma delas é que quem for se envolver com esse tipo de situação e realmente está decidido a cometer esse ato criminal; que ao menos pense e avalie as leis do País onde cometerá o crime. Porque depois não adianta chorar, acreditando que terá clemência. Não aprovo esse qualquer tipo de conduta que leve ao ato criminal, mas que o sujeito pense e avalie antes de cometê-lo. Pode ser que não tenha uma segunda chance. Marco não teve. Caiu nas mãos de um presidente linha dura que ignorou quatro cartas presidenciais e a quinta respondeu com um não o pedido de clemência por parte da Presidente Dilma. Fica a lição de que esse tipo de crime não compensa. Pode compensar aqui no Brasil, onde as leis são fracas e muitas das vezes nem são cumpridas. Mas existem Países mais sérios (não que o Brasil não seja, me refiro às leis) e rígidos nas decisões. Cada País tem sua cultura, sua disciplina e sua maneira de lidar com as leis. Que o Brasil possa repensar também nessas questões e mudar suas leis que são tão ultrapassadas e tentar mudar pelo menos um pouco as condições humanitárias de nosso povo dando saúde, educação e segurança de qualidade, para que os jovens não tenham tempo para pensar em cometer atos dessa natureza e depois não parar em um corredor da morte, como foi o que aconteceu com nosso irmão brasileiro, Marco Archer.




UMA OBSERVAÇÃO.

TRECHO DA CONVERSA DE UMA ENTREVISTA DE LÚ LACERDA A UMA AMIGA DE MARCO.


Vários foram surpreendidos com a empresária Tiane Avelino, de família bastante conhecida no Rio, que publicou uma foto com Archer, antes da execução, com a legenda: “Isso não vai acontecer (a pena de morte). Tenho certeza que não”. Foi bastante recriminada por antigos ‘amigos’ por ter postado a foto. Perguntada, Tiane respondeu: “Sou careta, mas não sou hipócrita, não vou passar a fingir que não conheço meu amigo. Ninguém pode responder pelas atitudes dos outros. Depois que o Marco caiu de parapente, passando até um tempo em cadeira de rodas, chegou a dizer a mim que iria viajar para conseguir dinheiro para pagar o hospital, viajou e deu nisso que todos sabem”. E completa: “Nunca fez maldade com ninguém. O único mal que fez foi a ele mesmo.” Matéria completa aqui.

Por Guilherme Jaber







JESUS VERSUS PAPAI NOEL


O Texto abaixo foi retirado do livro "Educadores do Coração", de Walter Barcelos e nos ajuda a lembrar quem é o Aniversariante esse mês!

"Nos acontecimentos natalinos do mundo, está ocorrendo o esquecimento quase completo da personalidade de Jesus e a sua missão divina, pois no lugar Dele surge a figura ingênua e alegre de “Papai Noel”. O bom velhinho traz alegrias para as crianças, mas não apresenta mensagem espiritual construtiva para o coração infantil. Apesar disso, continua sendo uma figura que vem do Céu para promover alegria maior no coração de todas as crianças da Terra”.

Para a imprensa mundial, para o mundo dos negócios, para os adultos, para os pais e especialmente para as crianças, a figura mais importante no Natal e que toma conta das emoções e sonhos dos pequeninos continua sendo a de Papai Noel...

Jesus é o grande esquecido na própria data em que se comemora o seu nascimento. Nessa data, pouco se fala de seus ensinos maravilhosos para a felicidade das criaturas, de seu imenso amor à Humanidade e de seus exemplos da mais pura fraternidade para com os homens.

Papai Noel é o encantamento das crianças, o mágico dos brinquedos, a oportunidade de fazer um pedido, o sonho infantil a ser realizado, a alegria de ganhar brinquedos esperados ansiosamente. Fala-se, divulga-se e materializa-se a personagem lendária de Papai Noel para estimular sonhos, emoções, alegrias, sorrisos, fantasias, presentes, músicas e festas encantadoras – tudo em função de poderoso interesse comercial! Papai Noel, de certa forma, tomou o lugar de Jesus no coração dos pequeninos do mundo inteiro. É um desrespeito e um desprezo imenso pela missão do Cristo de Deus.

Precisamos, cada vez mais, espiritualizar as comemorações do Natal de Jesus na mente e nos corações, muito especialmente das crianças, para que sejam efetivamente orientadas e educadas para um mundo melhor. Não podemos deixar que na bela data em que se deve lembrar-se da presença sublime do Embaixador de Deus aos homens, continuem nossas crianças com a mente impregnada de símbolos e ideias bastante fantasiosas.

No Culto do Evangelho no Lar, no mês de dezembro e na semana do Natal, será que os pais espirituais aproveitam essa oportunidade para explicar mais e melhor acerca da missão excelsa de Jesus Cristo? Falar de sua família consanguíneo, de sua infância, de seu amor aos pais Maria e José, de sua grande humildade, de suas curas maravilhosas, de seus exemplos de enorme bondade para com todas as pessoas, de seus ensinamentos de Amor e Caridade, de seu Amor a Deus, de seu amor aos pobres e sofredores do mundo e de seu sacrifício supremo pela paz da Terra.

Papai Noel é a festa humana no coração infantil, com o presente perecível fazendo a felicidade passageira da criança.

Jesus Cristo é a festa de luz eterna com o presente de amor ao coração dos pequeninos para a edificação da felicidade espiritual pela educação do sentimento e do caráter no reino dos corações.

Papai Noel representa os interesses transitórios da Terra, ao passo que Jesus constitui os valores imorredouros do Céu.

Não podemos ser contra a presença mágica e alegre de Papai Noel na mente infantil, porém devemos ser contra o descaso e o esquecimento quase completo da missão de Jesus, nas comemorações de Natal no seio das famílias.

“Imagine que você me convide para o seu aniversário, mas quando chego lá encontro outro em seu lugar.”

Que Jesus possa ser o centro das atenções em sua comemoração neste ano, afinal ele é o aniversariante, e merece todo nosso carinho, respeito e admiração.