CUIDADO COM O QUE VOCÊ VÊ



Eu acho que é hora daqueles que preservam a moral e os bons costumes poder selecionar o que deve entrar em seus lares através da TV. A Globo tem pautado insistentemente a questão do homossexualismo na TV como sendo uma coisa normal e é isso que ela tenta passar, mas aqueles amantes da PALAVRA de Deus e que pregam a questão família original (Homem x Mulher) pois foi assim que Deus constituiu e eu não vou nunca contra os princípios que ele criou aqui dizer que ele cometeu um erro, uma loucura e que família é esse conceito atual e que Deus cometeu um erro. "JAMAIS". Tudo que Deus fez foi perfeito, mas o homem teima em mexer na forma como Deus constituiu as coisas, em sua forma original, e faz uma bagunça, uma lambança.


Logo no segundo capítulo de "IMPÉRIO" Ao contrário do que vem acontecendo no horário nobre da Globo, Aguinaldo Silva promete não fazer mistério sobre o beijo gay entre os personagens Claudio (José Mayer) e Leonardo (Klébber Toledo) em “Império”, substituta de “Em Família”. Muita apelação e acho que já deu. Ninguém escreve mais novelas como antigamente. Alguém me descreve quais as novelas de maior sucesso que já houve! Fizeram algum tipo de apelação contra a decência e a moral? Eles tem que saber que independente de horario são em nossos lares que eles que eles entram.


Eu em particular hoje seleciono muito o que desejo ver, o que considero lixo simplesmente descarto. Deixando claro que não tenho nada contra quem é homossexual, simpatizante ou qualquer outra coisa, mas daí dizer que aprovo suas vontades própria já é outra coisa. JESUS quando andou aqui na terra, ele ignorou tal fato, seu foco era chegar ate os necessitados e puros de coração, de forma que não julgo, mas também não aceito, assim como Deus em sua Palavra condena tais atitudes, mas ama o homem que as pratica. Deus ama o homem, mas não suas praticas que conduzem ao pecado.


"A lâmpada do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!" Mateus 6:22-23


Se você leu atentamente a passagem citada acima pôde observar como o Senhor Jesus diz que é importante tomarmos cuidado com aquilo que vemos e colocamos nosso foco. O processo visual do homem é o mais próximo do processo mental. Muitas vezes desejamos comprar um produto, comer algo diferente ou mesmo nos apaixonamos por alguém que primeiro vemos. O processo visual informa para a mente que algo nos agrada e atrai, ou que algo nos desagrada e nos causa repúdio. Desta forma devemos redobrar nossa atenção para aquilo que estamos voltando nossos olhos, pois a mente absorve boa parte da informação visual e isso pode poluir nossos pensamentos, nossa vontade e até mesmo nossa atitude.



Cuidado com o que você assiste nos programas de televisão e também com os programas que está permitindo seus filhos verem. A criança até por volta de 13 anos está com seu caráter em formação e é mais facilmente influenciada pelo que recebe de seu campo visual. Com o que você quer que o caráter de seu filho seja formado? Com as novelas ou com um ensino edificante da Palavra de Deus? Pense nisso...

Que Deus os abençoe em Nome de Jesus!



Por Guilherme Jaber

BRASIL DA ISENÇÃO A FIFA

>


FIFA lucra R$ 10 BI e BRASIL perde R$ 32,8 BI

A revista semanal alemã “Der Spiegel” trouxe reportagem de capa neste domingo, 11, sobre os riscos da Copa 2014 no Brasil. A imagem da capa é uma bola oficial ‘Brazuca’ pegando fogo como um meteoro enquanto despenca sobre o Rio de Janeiro. A revista narra também o clima de descontentamento com a situação econômica, a insegurança, o atraso das obras de infraestrutura, educação e saúde. Fonte: Estadão, ontem.

O gasto de R$ 10 bilhões com 12 novos estádios também é citado na revista, que destaca a previsão de lucro de R$ 10 bilhões da Fifa, sendo R$ 6,5 bilhões com direitos de transmissão e R$ 3,5 bilhões venda de direitos de imagem. Fonte: Estadão, ontem.

Ninguém fez conta ainda, se a realização da Copa 2014 no Brasil vai trazer lucro ou prejuízo, sob ponto de vista de incremento do comércio com a realização do evento do FIFA no País. É uma tarefa difícil, fazer qualquer previsão, mas eu tendo formação de engenheiro com habilitação em Economia e Estatística, vou tentar fazer um estudo aproximado baseado em números fornecido pela Embratur.

O argumento de que haverá ganho financeiro pela realização da Copa 2014, é uma tremenda mentira inventada pelos marqueteiros, que querem justificar os R$ 26 bilhões aplicados para preparativo da Copa, incluindo a construção dos estádios, segundo Matriz de Responsabilidade. Somado ao prejuízo já demonstrado de R$ 6,8 bilhões, mais os investimentos, a soma de desembolso e do que o País deixa de produzir, será de R$ 32,8 bilhões.

Foi o que escrevi a poucos dias. Resumindo a história da realização da Copa 2014 no Brasil, independente de se o Brasil vai conquistar o título de “hexa-campeão”, o prejuízo total do Brasil como país é de R$ 32,8 bilhões, enquanto a FIFA, entidade organizadora da Copa, vai ganhar R$ 10 bilhões.

Tinha razão, o ex-presidente Figueiredo quando recusou a realização da Copa no Brasil. Os R$ 32,8 bilhões de prejuízo bem que poderia estar sendo gastos em educação, saúde pública e segurança pública. Mas, não, Lula e Dilma resolveram posar de homem e mulher do povo! Logicamente à custa do próprio povo.

Texto de Ossami Sakamori


Embaixador dos EUA no Brasil deixa o posto


Thomas Shannon será assessor especial do secretário de Estado americano, John Kerry




Após três anos e meio em Brasília, o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, deixará na sexta-feira (6) o posto. A saída, anunciada há três meses, ocorre no momento em que os Estados Unidos são cobrados pelo governo brasileiro por informações detalhadas sobre as denúncias de espionagem a dados pessoais da presidente Dilma Rousseff, de assessores e cidadãos do país.
Em substituição a Shannon, assumirá o posto Liliana Ayalde, que antes serviu no Paraguai. A diplomata chega ao Brasil no dia 15. Shannon segue para os Estados Unidos, onde será assessor especial do secretário de Estado (o equivalente a chanceler) John Kerry.
Embaixador no Brasil desde fevereiro de 2009, nos últimos dias Shannon foi convocado por duas vezes ao Ministério das Relações Exteriores para prestar explicações sobre as denúncias de espionagem, por agências americanas, às comunicações internas do Brasil. Na semana passada, o embaixador passou cerca de uma hora com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado.

Correios estudam criar e-mail gratuito e criptografado

Na conversa, Figueiredo cobrou explicações “formais e por escrito” até o fim desta semana. “Convoquei o embaixador dos Estados Unidos ao meu gabinete e disse a ele da indignação do governo brasileiro pelos fatos que constam dos documentos revelados, das violações de correspondências da senhora presidenta”, disse o ministro brasileiro. Na reunião com Shannon, Figueiredo falou ainda que as suspeitas sobre o Brasil envolvendo riscos à democracia e à solidez do Estado são inadmissíveis. “O Brasil é um país democrático, um Estado sólido, em uma região democrática e sólida, que busca a convivência com seus parceiros de forma amistosa. Não se pode admitir nem em sonho que é um país de risco ou problemático”, disse.
O governo brasileiro classificou o episódio como inadmissível e inaceitável, expressões usadas tanto por Figueiredo quanto pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. As denúncias colocam em risco ainda a possibilidade de viagem de Dilma, com honras de chefe de Estado, aos Estados Unidos, em 23 de outubro.
Nesta quinta-feira (5), foi divulgado que a viagem do grupo que prepararia a visita da presidente aos Estados Unidos foi cancelada.

Espionagem americana

Nos últimos meses, o ex-técnico americano Edward Snowden, que trabalhou para a Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês), tornou público que o governo americano havia desenvolvido o maior programa de monitoramento em massa de comunicações de que se tem conhecimento no mundo. Com a colaboração do jornalista americano Glenn Greenwald, a quem Snowden repassou os documentos sigilosos, no final de julho, ÉPOCA revelou com exclusividade arquivos que mostram que a NSA espionou oito membros do Conselho de Segurança da ONU, no caso das sanções contra o Irã, em 2010. Em seguida, ÉPOCA teve acesso a uma carta ultrassecreta em que o embaixador americano no Brasil, Thomas Shannon Jr., agradece o diretor da NSA, general Keith Alexander, pelas “excepcionais” informações obtidas numa ação de vigilância de outros países do continente, antes e depois da 5ª Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago, em abril de 2009. Shannon celebra, no documento, como o trabalho da NSA permitiu que os EUA tivessem conhecimento do que fariam na reunião os representantes de outros países. Em entrevista a ÉPOCA, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que manter dados em segredo faz parte do jogo diplomático, mas que a espionagem em negociações pode configurar uma forma de fraudá-las. "Estamos diante de um escândalo de proporções globais."

Como remover adwares e propagandas do navegador



Instalar extensões no navegador é algo interessante, porém é preciso tomar muito cuidado ao selecionar o que você deseja usar. Muitos plugins são, na verdade, adwares disfarçados de complementos, que não possuem muita utilidade e enchem o seu navegador de propagandas desnecessárias.

Muitas vezes, esses adwares são ativados na hora em que você está instalando um programa, se você não prestar atenção. Isso já deve ter acontecido: você abre o instalador de um software gratuito e, durante o processo, ele pede para que você autorize o uso de um plugin, barra de pesquisa ou outro tipo de complemento.

COMO SABER SE O MEU COMPUTADOR ESTA INFESTADO POR ISSO?

Primeiramente, pode ficar tranquilo: na maior parte dos casos, esse tipo de complemento, mesmo que irritante, não causa maiores danos ao seu computador, como acontece com um vírus. Mesmo assim, não é nada interessante manter esse tipo de plugin no seu navegador.

Para saber se você possui complementos desse tipo no seu browser, repare se você anda recebendo propagandas em sites que não possuem esse tipo de elemento. Um teste simples é acessar a própria home do Facebook; se existir publicidade em áreas dessa página que não costumam estar lá normalmente, isso quer dizer que você possui adwares instalados sem saber.

Outro tipo de adware é aquele que cria links em palavras no meio do texto, aleatoriamente. Quando você passa o mouse por cima do trecho, ela mostra uma caixa de propaganda que tem relação com o que está escrito. Alguns sites possuem esse tipo irritante de publicidade nativamente, porém, se você começar a ver isso em todos os lugares, desconfie — o problema pode ser o seu navegador.

E AGORA O QUE EU FAÇO?

Nada de pânico, a solução para isso é muito simples! Se os complementos é que fazem com que o seu navegador fique maluco desse jeito, basta desativá-los e tudo volta ao normal, certo? Exatamente. Uma vez que você retirar do browser as extensões indesejadas, ele volta a mostrar os sites corretamente, sem propagandas a mais.

Para fazer isso, encontre a janela de plugins do seu navegador. No Firefox, você precisa clicar no menu “Firefox” (aquele botão laranja) e escolher a opção “Complementos”. No Google Chrome, clique no ícone em forma de ferramenta e vá até Ferramentas > Extensões.

No Internet Explorer, clique no botão em forma de engrenagem e escolha a opção “Gerenciar Complementos”. No Opera, clique no menu “Opera” (no canto superior esquerdo) e siga o caminho Extensões > Gerenciar extensões. Por último, no Safari, você deve clicar no ícone em forma de engrenagem e ir até Preferências > Extensões.

Ok, você está na janela de complementos do seu navegador, agora é a hora de desinstalar todo o lixo. Veja tudo o que você não tem certeza do que é, extensões que prometem indicar promoções, elementos duvidosos e tudo o que você não se lembra de ter escolhido instalar, e desative-os. Na dúvida se um plugin é prejudicial ou não, é melhor retirá-lo também.



Pronto! Alguns navegadores, como o Firefox, pedem para que você reinicie o browser para que as mudanças sejam efetuadas; outros, como o Chrome, não necessitam desse tipo de ação, basta recarregar as páginas abertas e ver os anúncios indesejados sumirem. É recomendado também limpar o cache e apagar os cookies, só por garantia.

Não era esse o problema?
Se você usa o Firefox e ainda continua com uma barra de pesquisa perdida por aí ou mesmo com complementos que mudam o serviço de buscas do seu navegador, pode ser preciso fazer uma limpeza mais pesada. Acesse este tutorial e veja como eliminar de vez qualquer conteúdo indesejado desse navegador.


COMPUTADORES POSITIVO



Positivo: o computador é seu, a propaganda na Área de Trabalho é nossa

Faz mais ou menos dez dias que notebooks, netbooks e computadores da Positivo Informática saem de fábrica com um recurso novo que, de acordo com a empresa brasileira, vai fazer a festa do mercado publicitário nacional. Falo do Positivo DeskMedia, plataforma de propaganda da Positivo que inclui widgets patrocinados na Área de Trabalho das máquinas rodando o Windows 7.

Sim, a Positivo decidiu colocar anúncios pagos por empresas terceiras na tela do computador pelo qual você pagou.

Máquina da Positivo

A Positivo comemora a chegada do recurso como mais uma forma de empresas interessadas se comunicar diretamente com o público-alvo. Nesse início, a Catho Online fechou contrato e já tem suas propagandas exibidas em forma de widget.

De acordo com a fabricante, não há necessidade de estar conectado o tempo todo. Deu a entender que o computador baixa o widget e cria um cache no qual ele fica armazenado até que, numa comunicação futura com   os servidores da empresa, a propaganda é atualizada.

Eu conversei com Olavo Ferreira, diretor de Publicidade da Positivo Informática. O executivo defende o recurso: “Por sua posição privilegiada, o DeskMedia impacta a audiência de forma lúdica, sem interromper as atividades principais, mas prestando informações, serviços e facilitando seu acesso às marcas anunciantes.”

Os usuários interessados em desativar o DeskMedia terão como fazê-lo. Segundo informações da Positivo, o procedimento é o mesmo para fechar qualquer widget no Windows 7. No entanto, trata-se de um opt-out – o recurso vem ativado por padrão, e cabe ao dono do equipamento optar por desativá-lo; se fosse opt-in, a Positivo perguntaria ao usuário se ele quer ver esse tipo de propaganda.

Provavelmente terá consumidor questionando o seguinte: “Eu já compro o equipamento, pago do meu bolso, e ainda tenho que ver propaganda?” Reposta de Ferreira:

“Por conhecermos o comportamento, as preferências e as aspirações dos nossos consumidores, desenvolvemos o DeskMedia de maneira que seja interessante para o usuário, levando informações, serviços, ofertas e promoções que agradem e sejam úteis ao nosso público. Os usuários também estão sendo informados sobre os benefícios do serviço. Acreditamos que, por isso, a maioria das pessoas optará por mantê-lo no computador. Mas a vontade do usuário será sempre respeitada e ele terá a opção de desabilitar a ferramenta sem dificuldade.”

Em termos de privacidade, a Positivo Informática garante que não compartilha os dados colhidos com o DeskMedia com as empresas anunciantes. “Nenhum dado relativo ao usuário ou ao seu comportamento de navegação é compartilhado sem prévio consentimento”, garante.

A notícia chega na mesma semana em que a Microsoft começou a oferecer espaços publicitários na Dashboard do Xbox 360 para gamers brasileiros. Esse tipo de propaganda pode?

Na internet é assim, mesmo sendo dono do computador, o usuário vê publicidade (assim espero!) porque é dessa forma que se financia a existência dos sites. No entanto, o computador é o próprio produto que a Positivo vende (o mesmo vale para o Xbox 360 e a MSFT); já está pago quando o consumidor o desembala e liga pela primeira vez.





FONTE: Thássius Veloso.

VÍDEO De Fabiano Cardoso




PRAZER, SOU ADVOGADO E ENGRAXATE


Do interior de Goiás, jovem chega à capital com um propósito: ser um homem de sucesso. Já se formou em Direito e se prepara para a pós-graduação

Quando saiu da sua cidade natal, no nordeste de Goiás, o engraxate Joaquim Pereira Ramos Filho, de 24 anos, não imaginava o que o futuro lhe reservava. A única certeza que tinha é que poderia ir muito longe com a sua força de vontade. Hoje, Joaquim, natural de Monte Alegre de Goiás, detém com orgulho o título de bacharel em Direito, que concluiu graças ao dinheiro que ganhou dando brilho aos sapatos de clientes. Mesmo formado, ele continua engraxando para garantir sua renda. O próximo desafio do futuro promotor – área do Direito que ele deseja seguir – será o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Com a repercussão de sua história, Joaquim ganhou uma bolsa para fazer um curso preparatório para o exame da OAB e outra para fazer pós-graduação, que inicia em agosto deste ano. Em entrevista à reportagem da Folha Universal, o goiano disse que nunca se preocupou com o que as outras pessoas pensavam. “Se eu me preocupasse com o que as pessoas falam, não teria me formado bacharel engraxando. Você tem que tentar fazer o diferente. Sempre digo que ter atitude é a diferença entre um homem que reclama e um homem de sucesso.”

Joaquim aprendeu a engraxar observando seu pai. Depois de uma juventude difícil, viajou quase 700 quilômetros com seu irmão para Goiânia com uma ideia na cabeça. “No começo eu juntava R$ 20 por dia engraxando, mas fui ganhando a simpatia das pessoas e passei a ganhar R$ 2 mil por mês. Quero ser um homem de atitude e ser bem-sucedido.” Quando chegou à capital goiana, o jovem ficou 3 meses sem emprego. Quando conseguiu seu primeiro trabalho, numa fábrica de enxovais, não ficou nem 3 meses. “Pedi demissão, porque aquele salário não ia realizar meu sonho. Então me dediquei a engraxar sapatos.”

Joaquim escolheu o Direito ouvindo as histórias de seus clientes. “Comecei a atender muito advogado, promotor e juiz. Fui me inspirando neles.” No começo, os profissionais do Direito incentivaram Joaquim, mas, no fundo, não acreditavam na possibilidade de ele trocar as ruas por um tribunal. “Eles me achavam sonhador e não colocavam muita segurança. Quando comecei a faculdade, eles viram que eu não estava falando da boca para fora.”

O começo foi difícil. “Eu juntei R$ 2 mil, que deram para pagar a matrícula e a primeira mensalidade. Logo na primeira prova, tirei zero, mas quem disse que eu desisti? Era o meu sonho.” Aos poucos, a perseverança de Joaquim foi reconhecida e ele ganhou uma bolsa integral no 70 período da faculdade e ajuda de seus clientes: “Para você ter uma ideia, um deles me ajudou com R$ 100, e a minha roupa da formatura”, completou.


Por: Diego Viñas

JOÃO HAVELANGE ENCURRALADO


Tratado pelo mundo afora como grande dirigente do esporte, João Havelange foge do cargo para evitar punição após acusações de receber propina

Dirigente brasileiro com maior trânsito no cenário mundial e com um currículo invejável, apesar da carreira cheia de ações obscuras, João Havelange teve de fazer mais uma jogada, talvez a última, para não ver sua reputação ruir de maneira escancarada: sem qualquer anúncio, ele renunciou no dia 18 de abril ao cargo de presidente de honra da Fifa. Isso para não sofrer uma punição pela participação no escândalo envolvendo a entidade máxima do futebol e a falida agência de marketing esportivo ISL.


O Comitê de Ética da Fifa apontou que Havelange recebeu propina da ISL, que negociava os direitos de transmissão dos eventos organizados pela Fifa, assim como outros dirigentes que já haviam deixado seus cargos: Ricardo Teixeira, ex-genro de Havelange e agora ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador da Copa de 2014, além do paraguaio Nicolás Leoz, que também no fim de abril pediu para deixar o cargo de presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).


Havelange, que foi membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) de 1963 a 2012 e presidiu a Fifa de 1974 a 1998, é tido como um grande dirigente do esporte mundial. Mas sua carreira de sujeito apontado como responsável por transformar o futebol em um negócio milionário – apesar das acusações que teve de se apropriar desse volumoso negócio – coleciona escândalos. Ele teria colaborado com governos de ditadores, como na Copa de 1978, na Argentina; usado do tráfico de influência pelo mundo afora para negócios com patrocinadores, escolhas de eventos e eleições em cargos das entidades do futebol mundial; e preparado o terreno para Ricardo Teixeira ser presidente da CBF, mantendo com o ex-genro, por anos, negócios obscuros. Foi ainda acusado de compra de votos para eleger o atual mandatário da Fifa, Joseph Blatter, que seria o responsável por preparar a ascensão de Teixeira. Mas o suíço gostou do poder e não perdeu a chance de derrubar a dupla de cartolas brasileiros.


“Já tinha passado da hora dele ter renunciado. Pessoas que ocupam cargos de destaque e relevância devem dar exemplo. E qual era a imagem que a Fifa passava com um presidente de honra acusado de receber propina?”, questionou o deputado federal e ex-jogador Romário, que ainda pediu: “Tem mais gente que deveria seguir o exemplo do Havelange, como o atual presidente da CBF, José Maria Marin. Será que a CBF também tem um Comitê de Ética? Já está na hora da entidade que comanda o futebol brasileiro fazer uma verdadeira faxina ética.”


O atual mandatário da CBF não foi citado nas investigações; já o antigo presidente da entidade máxima do futebol nacional não foi poupado. Segundo relatório sobre o caso ISL divulgado pela Justiça suíça, que não prevê punição para esse suborno, apenas João Havelange e Ricardo Teixeira receberam da ISL um total 21,9 milhões de francos suíços, o equivalente a R$ 45,5 milhões. O documento relaciona o pagamento aos dois em razão de depósitos direcionados a empresas controladas pelos dois dirigentes brasileiros, apesar de haver uma acusação de desvio de verba de 1,5 milhão de francos suíços (R$ 3,1 milhões) depositados diretamente para Havelange e com o aval do atual presidente da Fifa, Joseph Blatter.


O relatório final sobre o caso ISL, elaborado e divulgado pelo Comitê de Ética da Fifa, deixou claro que Havelange, Teixeira e Leoz receberam propina da ISL, entre 1992 e 2000. Os três negavam o envolvimento com o caso ISL, mas aos poucos foram encurralados por seguidas acusações e o surgimento de documentos oficiais e acabaram cedendo, um a um.


Ricardo Teixeira renunciou aos seus cargos na CBF, no comitê organizador da Copa do Mundo de 2014 e também no Comitê Executivo da Fifa, no início do ano passado, alegando que ficaria com a família, e está praticamente exilado em Miami, nos Estados Unidos. Nicolás Leoz foi internado com infecção pulmonar e uma forte gripe depois de renunciar no fim de abril ao cargo de presidente da Conmebol e também do Comitê Executivo da Fifa; e João Havelange, quase centenário, segue uma rotina pacata em Ipanema, no Rio de Janeiro, onde vive e apenas sai de casa para frequentar um clube para poucos endinheirados.


Em comum, o trio que teve a imagem mais do que arranhada pelo caso ISL tem ao menos um alento, além da falta de pena para esse tipo de crime na Suíça: como a propina foi paga antes da criação do Código de Ética da Fifa e ambos já pediram renúncia da entidade, não podem ser mais julgados pelo escândalo.


Mas, independentemente de sanções oficiais, a saída na surdina da Fifa decreta um fim melancólico para a outrora invejada carreira de Havelange, que também já havia pedido para sair do COI para evitar punição da entidade da qual era membro desde 1963.


O dirigente que começou como cartola da natação, assumiu o comando da Confederação Brasileira de Desportos, a antiga CBD, com a qual foi tricampeão mundial de futebol no período em que lá ficou, de 1956 a 1974, ano em que saiu para assumir a presidência da Fifa, depois de polêmica eleição com suposta compra de votos, o primeiro de uma série de escândalos que ele colecionaria na entidade.


Assim como o sucessor que preparou em vão para comandar o futebol mundial, Havelange teve de recorrer à fuga para não arranhar ainda mais a imagem e nem pagar por crimes cometidos. Por enquanto, parece conseguir a impunidade. Por enquanto.




FONTE: Folha Universal


O FIM DO MUNDO ESTÁ PRÓXIMO?



Professor de Oxford avisa que, se não mudarmos de comportamento, a resposta é... “sim”. O risco da extinção da humanidade não deve vir de fenômenos da natureza, mas do próprio homem



Se fizermos as coisas de maneira errada, este pode ser o último século da humanidade. A previsão é de gente séria. Saiu da boca do sueco Nick Bostrom, professor da Faculdade de Filosofia da Universidade de Oxford, uma das mais renomadas do mundo. Ele também é diretor fundador do Instituto do Futuro da Humanidade, alocado na Oxford Martin School, uma iniciativa que, desde 2005, reúne acadêmicos de diferentes áreas para estudos interdisciplinares capazes (esperam eles) de enfrentar os maiores obstáculos da nossa existência nas próximas décadas.


Físico, especialista em neurociência computacional, lógica matemática e filosofia, Nick Bostrom é conhecido principalmente por ter criado este conceito de “risco existencial”, daquilo que “ameaça a extinção prematura da continuidade da existência de vida inteligente no planeta Terra ou a permanente e drástica destruição do potencial desejável para um desenvolvimento futuro”.


A afirmação foi feita para a BBC inglesa, em matéria do dia 24 de abril, mas sintetiza o artigo que rodou – e abalou as certezas do mundo – nas últimas semanas: “Prevenção do Risco Existencial como Prioridade Global”. O estudioso explica, logo de cara, que o fato de ser difícil quantificar a probabilidade de algum risco não significa que o risco é desprezível. Diz que, pensando em fim do mundo, “mesmo uma pequena probabilidade de catástrofe existencial pode ser altamente significativa”.


Diferentemente do que podemos imaginar, as piores ameaças não devem vir de algum fenômeno da natureza, como terremotos, erupções vulcânicas, explosões de raio-gama; nem de fora do planeta, como asteroides e meteoros. Tudo isso, avalia Brostom, tem um risco “extremamente pequeno numa escala de tempo de um século ou mais”. Pelo raciocínio do professor, como já sobrevivemos a milhares de anos de guerras, doenças, fome, enchentes, predadores, perseguições e mudanças ambientais, neste sentido, as chances ainda estariam do nosso lado. Ainda bem! No entanto, isso não nos deixa livres de problemas.

O grande inimigo do homem, acredite, é o próprio homem. De uma forma pouco paradoxal: com o fruto de nossas atividades nos avanços tecnológicos. Nós estamos produzindo, de forma cada vez mais acelerada e avançada, tecnologias que proporcionam conforto, segurança, agilidade, mais saúde, maior tempo de vida. E são exatamente essas tecnologias, o conceito por trás delas, as pesquisas nos níveis mais avançados de diferentes áreas (biologia, física, química, medicina, ciência da computação) que podem, justamente, se voltar contra os “feiticeiros”.


Tecnologias novas sendo exploradas sem que se saiba de suas consequências em longo prazo podem causar catástrofes por acidente ou propositalmente.


Estamos falando do que pode acontecer com falhas de grandes magnitudes numa manipulação genética, por exemplo. Ou cientistas inescrupulosos usando a nanotecnologia para fins bélicos. Ou computadores rebelando-se, por meio de inteligência artificial ou de sistemas computacionais, para dominar o homem [veja mais nas ilustrações]. Parece filme de Frankenstein, James Bond e Matrix, mas “não é ficção científica, doutrina religiosa ou papo de fim de noite no bar”, avisa Bostrom. “Não há qualquer motivo plausível para esse assunto não ser levado a sério.”


É justo aí, porém, que reside o problema propriamente dito. Nem mesmo os teóricos sobre o assunto estão realmente preocupados. Existem mais estudos sobre snowboarding do que sobre o fim do mundo! O que, para o estudioso sueco, atrapalha é a multidisciplinaridade do tema, o aprofundamento científico, dados precisos e em larga escala e até questões psicológicas – afinal, quem quer estudar, ou melhor, pensar que tudo vai acabar? As pessoas comuns, parecem ainda mais alheias. O professor entende que quando confrontadas com números altos, aparentemente distantes, difíceis até de imaginar, essas pessoas desistem de entender e, inclusive, se engajar a este assunto.


Ainda assim, o estudioso não é um pessimista. Encara seu artigo como uma oportunidade, fala da necessidade de uma postura pró-ativa e de um engajamento coletivo das nações. Dizer que sim, é um cenário nebuloso, mas faz considerações finais encorajadoras usando seus próprios argumentos: de que os conceitos-chave dessas novas tecnologias são... novos! E, por isso, o risco propriamente dito ainda não pode existir enquanto estas tecnologias não se concretizarem em... risco! Embora, obviamente, quando o risco se concretizar, será tarde demais. Apesar das poucas pesquisas sobre o tema, comenta um leve aumento de artigos nessa área e da conscientização geral dos impactos da atividade humana no planeta. Para ele, toda essa evolução no pensamento, aliado ao tecnológico, também podem diminuir os riscos.


Motivado pela seriedade de seu trabalho, quer crer que toda sua explanação servirá não só como alerta, mas também como um forte guia de orientação para “preocupações utilitárias” e uma nova maneira de se pensar um ideal de sustentabilidade. “Este é um dos jeitos mais importantes de fazer a diferença”, torce Bostrom. Melhor acreditar.


Em contraponto aos recursos apresentados pelos cientistas para nossa sobrevida, Stephen Hawking, um dos maiores físicos e cosmólogos do mundo, voltou a alertar, durante palestra em Los Angeles e divulgada pelo Los Angeles Times, que a extinção da raça humana pode estar próxima, a menos que alguém descubra uma maneira de sobrevivermos no espaço.


Segundo ele não devemos sobreviver mais de mil anos, graças ao tratamento que damos à Terra, um planeta muito delicado.


NANOTECNOLOGIA
A manipulação dos átomos e suas estruturas mais básicas, dependendo da área em que for usada e com que fim, pode produzir estruturas destrutivas, para guerra de nível atômico ou molecular. E até na dermatologia nanopartículas de óxido de zinco e dióxido de titânio têm sido usadas em fotoprotetores. No longo prazo, qual será o resultado disso tudo?



INTELIGENCIA ARTIFICIAL

Computadores e robôs que raciocinam (com dados e regras lógicas) aprendem (inclusive com os próprios erros) e reconhecem padrões (até do cotidiano humano) podem “ultrapassar” o homem e, por que não, subjugá-lo algum dia.

MANIPULAÇÃO GENÉTICA
Utilizada para buscar soluções para problemas de saúde e no combate a doenças, quem garante que também não servirá para criações bizarras, como em filmes mesmo, ameaçadoras para o ser humano? Até ovelhas que brilham no escuro já foram criadas pelo homem!



SISTEMAS COMPUTACIONAIS
Deixando tudo a cargo de sistemas, de uma máquina, apesar do sossego e da segurança que conhecemos, podemos ter de confrontar, em algum momento, uma pane gigante, ou perdidos em informações, manipulados por aquilo que criamos

GUERRAS
Tudo o que envolve um conflito, com destruição, fome e perseguições; ainda assim devemos ser sobreviventes. Não seria isso a dizimar o homem, segundo os estudiosos do instituto. Nem mesmo uma bomba como a que destruiu Hiroshima, no Japão.


AMEAÇA ESPACIAL E DESASTRES NATURAIS
Asteroides, terremotos, erupções vulcânicas e outros fenômenos têm chances extremamente pequenas de acabar com a humanidade.